terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Empresta-me teu espelho?



É, eu não sou normal.
Não me encaixo.
Não suporto a rotina: me mata, me suga, me deprime.
Não suporto nem as mesmas caras que faço ao acordar.
Me anima ver as marcas do tempo.
Encontro uma satisfação patológica em mudar os móveis de lugar,
Às vezes, sozinha em casa, grito e começo a rir,
E depois a gritar em vários tons. E rir.

Adoro rir.
E Adoro não saber o que vai acontecer amanhã.

Amo fazer coisas estranhas, tipo comer frango frito com leite condensado.
É... eu odeio a rotina. Odeio as refeições normais. As relações normais. Amizades normais.
Eu não sei bem aonde vou chegar com essas palavras.
Só sinto que deveria gostar dessas coisas. Deveria...
Deveria pelo menos suportá-las.

Será que essa sou eu?
Acho que ninguém sabe.
Empresta-me o teu espelho?

É mesmo incrível o poder que tem uma simples frase:
“Você precisa escolher.”
Muda tudo.