sexta-feira, 1 de outubro de 2010

S.O.S ou Sós,se estiver com Deus.


Algo morreu. Algo nasceu.
Só me explicar como fazer nascer algo bom do que já morreu.

Hoje ela precisou de um Deus. Ou qualquer coisa semelhante. Qualquer coisa que a dissesse que não está sozinha no mundo, que além dessa vida existe algo mais, queria qualquer ser divino a quem responsabilizar pelos acontecimentos recentes. Há algum tempo vinha pensando nisso e já não acreditava em um Deus, nem em algo maior que ela, já não imaginava alguma força superior capaz de controlar seu destino, de cuidar da sua vida, de definir o futuro, as relações...
A não ser ela mesma e as outras pessoas...

Mas hoje...
Hoje pensou especificamente em “Deus”,

Como seria bom e simples ajoelhar-se e implorar pra que Ele resolvesse sua vida. Seria mais fácil viver assim, seria muito confortável jogar sua vida na mão de um Deus, afinal nada seria de sua responsabilidade.
Seria tão bom saber que seu pai estaria ali onipotente, onipresente, onisciente... Pedindo apenas que o ame e o sirva incondicionalmente.

Enfim.
É normal pensar em morrer, não é?
Querer morrer, entende?
É normal às vezes, mas essa não é o tipo da coisa que se comenta.
A gente esconde.
Afinal, é só um pensamento qualquer, que vai e vem quando você acha que chegou ao limite.

Foi só hoje que eu me dei conta que eu não sabia mais cantar
...


Hoje me dei conta de tantas coisas.


Esse é um bom motivo pra desistir...

...

Eu me rendo.

Imagem: Bruno Marafigo

Um comentário:

  1. Eu que agradeço a visita.
    Belos escritos os seus
    Foi pra favoritos.

    Abraço

    ResponderExcluir

Carpe Diem,Tempus fugit.