sábado, 2 de outubro de 2010

Contido e Moderado


Escuto nitidamente o ruído da chave virando na fechadura.
É a primeira vez que o silencio me incomoda tanto.

Meus passos fazem barulho demais.

Silencio.

Inacreditável.
Sai de casa pra ver se era real,
É que às vezes acho que fiquei louca.

Silencio.
Você acreditaria se eu te contasse que já faz quatro horas que não passa um carro nessa avenida?
Qualquer coisa me incomoda.


Sim, senhor, eu apago esse cigarro, entendo sim...
Eu também não conseguiria dormir com o barulho da chama.

Minha respiração vai acordar a vizinhança!
Eu não queria causar nenhum transtorno...
Desculpe-me
Desculpe-me...
Eu posso parar se vocês quiserem.

Sim, senhor, entendo....Meu coração bate alto demais mesmo...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

S.O.S ou Sós,se estiver com Deus.


Algo morreu. Algo nasceu.
Só me explicar como fazer nascer algo bom do que já morreu.

Hoje ela precisou de um Deus. Ou qualquer coisa semelhante. Qualquer coisa que a dissesse que não está sozinha no mundo, que além dessa vida existe algo mais, queria qualquer ser divino a quem responsabilizar pelos acontecimentos recentes. Há algum tempo vinha pensando nisso e já não acreditava em um Deus, nem em algo maior que ela, já não imaginava alguma força superior capaz de controlar seu destino, de cuidar da sua vida, de definir o futuro, as relações...
A não ser ela mesma e as outras pessoas...

Mas hoje...
Hoje pensou especificamente em “Deus”,

Como seria bom e simples ajoelhar-se e implorar pra que Ele resolvesse sua vida. Seria mais fácil viver assim, seria muito confortável jogar sua vida na mão de um Deus, afinal nada seria de sua responsabilidade.
Seria tão bom saber que seu pai estaria ali onipotente, onipresente, onisciente... Pedindo apenas que o ame e o sirva incondicionalmente.

Enfim.
É normal pensar em morrer, não é?
Querer morrer, entende?
É normal às vezes, mas essa não é o tipo da coisa que se comenta.
A gente esconde.
Afinal, é só um pensamento qualquer, que vai e vem quando você acha que chegou ao limite.

Foi só hoje que eu me dei conta que eu não sabia mais cantar
...


Hoje me dei conta de tantas coisas.


Esse é um bom motivo pra desistir...

...

Eu me rendo.

Imagem: Bruno Marafigo

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Quem tem medo do lobo mal?


Assisto tudo mudar rápido demais.
As pessoas.
Os gostos.
Os hábitos.
Os desejos.
Estou feliz, mas também assustada por tantas vezes olhar-me no espelho sem saber quem está refletida.

As mudanças são mesmo inevitáveis? Quem se faz essa pergunta, sabe de cor a resposta, sabe que as mudanças são dolorosas, afastam algumas pessoas, trazem outras. Por que afinal, quem está próximo reflete também um pouco de quem sou, precisa da minha aprovação para andar do meu lado.

E as mudanças... Bem, elas que são as ondas nesse mar, aqui você pode escolher contemplar ou se aventurar... Assim sendo as mudanças raras vezes são obrigatórias, na verdade elas são escolhas, eu escolho ser do jeito que sou, estar onde estou. São hipócritas aqueles que gritam ao mundo que não conseguem mudar, conseguem sim, mas não querem.
Têm medo e preguiça de tentar. Apegam-se ao passado como se ele fosse perfeito.
Tenho respeito pelo passado, mas ele não move minhas ações.

Eu “era” feliz.
Ele “era” meu amigo.
Esse “era” meu lugar.
E o amor? Virou saudade.

O que aconteceu com o “é”?
No que se transformou o agora?

Sempre lamentando o que poderia ter sido.
Deixando os outros tomarem as decisões em seu lugar.
Morrendo de preguiça de tomar uma atitude diferente.
Tremendo de pavor só de pensar em ser responsável pela própria vida.
Não quero mais essas pessoas perto de mim.
Tenho repensado minhas relações, quero que meus amigos sejam bons, bons para si e bons para serem chamados de amigos.
São poucos, mas são bons. É isso.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Monólogo (t) (n)


É natural sofrer inquietação por manter vivos objetivos transformadores.
Mas e quanto à inquietação do que esperam de mim?


Esperam que eu mude. Que eu me adapte.
Tenho uma notícia boa e uma ruim. A má notícia é que eu escolho a hora de mudar e nada do que me disserem vai influenciar nessa decisão,a boa notícia é que para lhes agradar eu vou fingir que mudei. Eu sempre danço conforme a música.
Bom,desculpe. Eu menti. São duas notícias ruins,porque no fim a boa,fica ruim,afinal,eu canso de interpretar.


Declarei-me sem mérito para receber ajudar divina,diante de tantas falhas,desvios de caminho,má conduta,e a hipocrisia de tentar alcançar a perfeição.


Estou esgotada.
Já faz alguns anos que venho me cansando das pessoas,e me sinto cada vez mais distante,diferente delas,nem melhor,nem pior,apenas inadequada, incompatível. Não quero que me toquem,o mundo fez de mim uma egoísta quase autosuficiente. Eu até gosto da atenção que eles me oferecem,não fosse meu defeito ficar entediada tão rápido,não fosse minha falta de piedade e o fato de fingir amar a todos,suas conversas banais,seus gostos monótonos,sua passividade diante dos problemas,o meu desajuste refletido em seus olhos.


É maçante ser atriz metade do meu tempo.
(Risadas)


Cheguei a uma conclusão: o que eu odeio mesmo é o fato de não poder mudá-los,é a minha impotência diante da violência,do desrespeito,do fato de que nem todo mundo precisa respirar. Ao mesmo tempo em que vejo isso como frustrante,vejo também como um balsámo.Tento não ser tão dura comigo,afinal é compreensível àqueles que fazem um pacto educativo de si próprios. Sem lástima e sem censura, tento me perdoar e seguir essa estrada.


Paciência.


Não planejo ser perfeita, mas anseio sim estar nesse caminho escuro que, tenho consciência, nunca verei o final. O tempo concederá valor aos meus esforços, de recompensa quero apenas a minha liberdade,que me deixem em paz.


O que vocês acham que vão conseguir me pressionando tanto? Até me preocupa... porque tantas vezes eu fui uma bomba-relógio. Diante desse fato todos se fazem de idiotas,dizem pra si mesmo que não sou tão venenosa,que sou forte,que posso agüentar.
Nossas ligações estão cada vez mais fracas,instáveis. E sabe o que eu acho disso? No fundo não me afeta,vocês vão me ver lamentar,mas faço isso porque é o que a sociedade espera de mim,divirtam-se é para o deleite de vocês.


Ouvi alguém na platéia me chamar de egocêntrica. Eu sou.
Egoísta. Muito,mas não se preocupem.
Existe algo sobre o que não há duvidas,sou perigosa até pra mim e freqüentemente tenho ataques de acismo.


A verdade é que eu não vou deixar nunca de ser uma atriz coadjuvante,primeiro porque escolhi esse papel,segundo porque se eu decidisse ser sincera vocês não gostariam de mim.............
e a platéia,convenhamos,faz parte do meu show.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Rilasciando


Sentado, lendo histórias passadas
Escutando velhas músicas
Que abrem as portas para antigas lembranças
Fazendo com que todo o passado, presente e futuro
Venham à tona como leves cortes na pele
Alguns se mostram agradáveis ao aparecer
Outros nem tanto, surgem com dor
Se mostrando bem mais profundos do que parecem
Feridas que o tempo não cura e que o álcool não dissolve
A falta provoca a tristeza que por vezes
Mostra-se momentânea, acredita-se que será para sempre
Os mundos se separam, em poucos segundos
As vidas se quebram em pedaços minúsculos
Que não podem ser juntados nem mesmo por nós
Então eis que tudo se esvai tão rápido quanto um cigarro
Onde o que vai restar de mais sólido são apenas cinzas
Faz-se possível então ver a cor da dor e o cheiro da tristeza
Leveza que não mais será alcançada, pelo menos não nesse mundo
O tudo que existia se tornou abstrato, o que restou foi o retrato
Guardado, adorado e sempre lembrado nas noites frias
Em que se encontrava distante do antigo lar
E por mais que os ventos soprem a favor sempre resta
Um pouco de pavor, a incerta certeza de querer de novo a leveza
Por mais ou por menos, com ou sem beleza
Com imensa dedicação, sabendo o preço da pureza,
E sabendo que nada será igual ao que já foi...

Guilherme Santana

Obs.: Às vezes sinto que a angustia é uma fonte de inspiração muito forte,um daqueles sentimentos que fazem surgir textos como esse. Não mudaria nada. Nem mesmo me preocuparia muito com a ausencia(ou não) de idéias,pelo que vi basta começar as primeiras frases.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Xenofobia


O diabo é um otimista, se acha que pode tornar as pessoas piores do que já são.
(Desconhecido)


Tenho medo de ficar em casa.
Medo de sair de casa.
De falar,
De não falar o suficiente.

Medo de que as pessoas não pensem em si mesmas quando fazem algo contra mim, porque tenho medo de quem eu sou, do que sou capaz de fazer.

Tenho náuseas quando quero fazer parte de tudo isso, só pra me sentir aceita, quando tento ser alguém que não sou,simplesmente porque não tenho coragem, nem energia, pra discutir com tanta gente ignorante que cruza meu caminho.

As pessoas não são normais: Elas brigam com quem amam, pra mostrar que amam; Elas perguntam se você está bem, mas não ligam pra sua resposta; Elas te pedem desculpa, com licença, obrigada, dão bom dia, boa tarde e boa noite, cumprem a função social básica, mas elas não se importam realmente.

Sinto-me vivendo em um manicômio.
Eu me importo. Eu não dou bom dia, nem peço desculpas... Eu não pergunto como você está se não quiser saber. Eu me sinto culpada porque tenho mais do que preciso, me sinto má porque não consigo ajudar a todos como gostaria. Eu me ponho no lugar das pessoas quando vou fazer algo pra elas. Eu amo muito a todos que um dia sorriram pra mim... Mesmo que hoje não lembrem mais meu nome, mesmo que aquele sorriso tenha sido anônimo e efêmero.

E me odeio sempre que finjo que não sou assim, sempre que me obrigo a agir como louca.

Ao mesmo tempo sorrio, e durmo em paz por saber que há tanta gente por aí que pensa como eu.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Roleta russa


E se eu fosse embora?
Quanta falta eu faria na sua vida?

O medo da resposta me consome de tal forma que não ousaria perguntar. Nunca o fiz.
Isso porque eu sei a resposta verdadeira, não importa o que digam, já passei por isso tantas vezes que sei de cor a seqüência de eventos que me levam ao esquecimento.

É como morrer várias vezes. Alguém vai lembrar-se de você sempre. Ou não.
Os outros vão chorar, sentir sua falta durante 26 dias aproximadamente.

Nos primeiros dias você recebe ligações e mensagens, afinal todos prometeram ligar sempre, até que essas chamadas vão ficando escassas, até que mais ou menos a partir do 40° dia você percebe que há algum tempo ninguém te liga, ninguém manda mensagem, mas ainda estão falando de você, dizendo: “Putz, se fulano estivesse aqui seria tão legal.”
Cruel é lidar com os pesadelos, com o fato de se perder na cidade, com a ausência das pessoas que falam como você, com a insegurança de não ter uma amiga que te conhece pra falar da vida alheia ou do menino bonito que te cantou.

Três meses se passam e alguém te liga, contando as novidades,falando de pessoas que você não conhece,contando coisas que te fazem sentir uma inveja terrível, falando das risadas, dos beijos, e do brigadeiro que você não comeu.

Você liga o chuveiro e demora demais no banho, sente medo de que alguém te ouça soluçar. Quatro meses depois outro alguém liga e conta que viu seu ex-namorado- que ainda mexe com você- beijando outra pessoa. Aperta o peito, dói a barriga e você diz: “natural.” Depois disso você nunca mais vai conseguir conversar direito com os amigos, vai ter acontecido tanta coisa que vocês não compartilharam que fica ate chato gastar interurbano pra saber, então as vezes trocam e-mails, scraps.

Agora as coisas começam a ficar mais fáceis, finalmente algumas pessoas pra conversar, e você acostuma com a cidade, com os novos amigos em quem você não confia ainda. Depois de tanto estresse, desgaste, chuva... as coisas melhoram dentro do peito.

Nessa época sua “vaga” de amigo foi ocupada... Estar longe começa a ser interessante, e apesar da saudade que você sente e que sabe que algumas pessoas sentem, no fundo nada vai ser como antes e isso poderia ser bom, se o processo não tivesse sido tão traumatizante.

O ciclo recomeça. A vida segue boa. E um dia qualquer você vai embora de novo, quase como se aquilo fosse seu carma,como se um Deus dissesse que você tem que aprender algo com aquilo. Pode até ser exagero, pode soar engraçado, e pode ter tanta gente que não tem idéia do que estou falando.

Bom, não importa... Dói tanto, que simplesmente prefiro que não me digam se farei falta.
E é claro que dói mais em mim, se você entender que sou um pássaro que desejou a vida inteira ser uma árvore.

E depois me perguntam por que criei um muro, quase impenetrável, entre mim e as pessoas.

terça-feira, 13 de julho de 2010

O que mais você quer?

Há momentos como esse todos os dias:
Assustadores, em que estamos tão felizes, e tudo vai tão bem que se chega a duvidar...
E essa duvida nada mais é do que a impotência diante do que não se pode manter para sempre.

Por isso, eu que já achei que não merecia tanta felicidade, só espero o próximo instante se consumir em alegria, tristeza ou perfeição. O dia de amanhã não cabe a mim escrever, vivo um pouco do passado, sorrio agora amando o presente. Sem ansiedades, sem rótulos, sem o medo de ser feliz.

Todos nós merecemos isso, e vejo tanta gente perder segundos preciosos tentando arrumar motivos ou defeitos, usando a máxima “é bom demais pra ser verdade”, é bom demais uma porra, eu já passei momentos terríveis, mereço ter a certeza que isso é real, que é pra mim!

Mereço ver as horas passarem rápido demais, a euforia, e essa segurança absurda de saber que a tua boca guarda beijos tão doces.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Decifra-me ou te devoro



Após me desligar desse mundo louco, encontro-me contigo novamente nos meus pensamentos.
Nunca saberei até quando precisarei disso.

Acorrentei-me, e só agora percebi que perdi as chaves. É tudo tão real!
O que Freud explicaria?

Não me canso de ti, mas preciso que saiba jogar enquanto danço a música que sai dos teus dedos. Talvez por isso nos sinta tão ligados, não sei, me importo com você...

É estranho, assumo, mas sinto os teus olhos cravados em mim.
Eu digo tudo o que você precisa saber, mas você não escuta!
Não me pergunte como, mas é o que sinto.

Preciso do teu olhar... do teu sorriso, como também preciso sentir teu abraço protetor... E que estás disposto a cuidar do meu coração, como se fosse o teu... Preciso saber que estás aqui dentro de mim...

Ainda vivo, sem certezas, sem futuro e um passado ainda mais fluido que a água...

Mas preciso acima de tudo saber quem você é... mesmo que tantas vezes ao decifrar-te tenha que juntar os pedaços,e perder horas a fio tentando reorganizar minha mente...respirando um medo até então ausente na minha alma.

Você quer segurança? Eu também quero!
Necessito que me escute... que me entenda!

Como também preciso que me conquiste... que me tenhas...

Desejo apenas a ouvir o silêncio do momento acompanhado unicamente pelo som da nossa respiração... apenas por saber que estar pele a pele contigo me trará a calma que almejo a cada tragada.

O que fantasio contigo é tão meu...
Qualquer palavra pode estragar tudo, pode desencadear eventos caóticos, que irão fugir do meu controle...
Está de tal forma em mim, que por vezes sinto-me totalmente presa aos meus pensamentos...

Tento abstrair-me, tento não pensar-te, mas cada vez abro os olhos, apareces e acima de tudo... me confunde! Cheguei a me assustar por você não ter percebido como as palavras são importantes pra mim, o quão grande é denominar e explicar a sua mão que apesar de procurar a minha, quase não a toca enquanto caminhamos, como se unir nossas mãos fosse mera formalidade. Quanto de nós está escondido nas mãos inseguras enquanto nossos passos nos levam a mais algumas horas juntos?

E esse sorriso?
O que foi?

Faz algum sentido pra você?

terça-feira, 22 de junho de 2010

Pra não dizer que eu não tentei

O que aconteceu comigo?
Finalmente um dia ruim depois de tanto tempo... Muito tempo.

Ciúmes, angustia, inveja, raiva, saudade, confusão, medo
Finalmente um desastre total

Desordem e caos, e no meio dessa tempestade eu completamente desorientada
Cheia de mim, sufocando em sensações que há muito eu desconhecia

Estou tentando me proteger. Estou tentando te proteger de mim.

O que você quer? Não te respondo que sim, nem que não... Se contente em saber que estou com você...
A fúria da razão vai me matar, não consigo respirar,
O pavor está me consumido. Não consigo parar de tremer.
Adrenalina. Arritmia.

Hoje fiquei com febre, e o pior é saber que passa
E passa tão rápido como um relâmpago...

Estou precisando de você, me salva, por favor, devolve meu ar, alivia minha dor.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Mentiras Sinceras


"Como ciumento sofro quatro vezes: porque sou ciumento, porque me reprovo de sê-lo, porque temo que meu ciúme machuque o outro, porque me deixo dominar por uma banalidade: sofro por ser excluído, por ser agressivo, por ser louco e por ser comum".
Roland Barthes


Que atire a primeira pedra aquele que não quer ser especial. Quem de nós ousaria recriminar aquele que quer ser o primeiro, o melhor, único na vida de alguém. Quem não se derrete ao ouvir que “aquela” pessoa nunca sentiu nada igual por ninguém.

Mentiras sinceras para serem boas, têm também que ser “verdade”. Verdade, nem que seja naquele momento. É meio estranho ouvir as pessoas reclamarem, dizerem que querem a verdade, ninguém quer ouvir 100% de verdade:

- Oi amor, como foi seu dia?
-Foi ótimo, sabe aquela minha ex-namorada modelo? Encontrei com ela vindo pra casa, continua gata, ela deu em cima de mim, até mexeu comigo, mas achei melhor vir pra casa, pensei na gente.

Depois dessa conversa a garota está tremendo e babando, ela ainda não conseguiu dizer nada porque está vasculhando o ambiente em busca de qualquer objeto cortante. É isso, ninguém quer 100% de verdade, o que ela gostaria de ouvir:

- Oi amor, como foi seu dia?
-Foi ótimo, sabe aquela minha ex-namorada modelo? Encontrei com ela vindo pra casa.
- Ela ainda é bonita?(Desconfiada)
-Nem reparei.

Queremos saber ou não?

Não sei mais. Dói tanto. Ideal, ideal mesmo é ter alguém fiel e que não olhe pros lados. Impossível, eu mesma seria hipócrita se dissesse que nunca pensei, que nunca olhei.
Não fazer é a parte mais fácil, pior é sentir, é querer, é se julgar, é ter a certeza que tem algo errado e ser incapaz de saber o que. Ao mesmo tempo em que o ciúme tem um lado muito ruim, ele se faz necessário.

O que seria da nossa vida se todos dissessem só a verdade sobre tudo? Acredito em algo que chamo de “sofrimento gratuito”, algumas coisas não precisam ser ditas, simplesmente porque o valor delas é insignificante perto do que elas podem causar na alto-estima de alguém, você não precisa dizer pra sua parceira que acha a Carol Castro gostosa se isso for fazer ela se sentir um lixo e coisas que causam sofrimento gratuito são muito relativas.

Quanto a mim, não sei se mentiras sinceras me interessam.

"Para que um bom relacionamento continue e seja agradável, é preciso não apenas suspeitar prudentemente, como ocultar discretamente a suspeita".
Stendhal

terça-feira, 15 de junho de 2010

Dia dos namorados

Minha aquariana amada, não sei como seria minha vida sem suas risadas e sem ter ela me pedindo comida o tempo todo... Eu só sossego quando ela fica feliz.
Eu amo tanto porque ela é minha irmã,
minha cara-metade feminina,
é o bom dia que eu não sei dar,é o meu bom humor quando raia o dia
e é ela que tem minha voz quando preciso pedir desculpas e não consigo.
Ela é o pedacinho que me completa.
É eterno porque é amizade,é amor,é de sangue!
Amigas até morrer!


A gente sempre brinca que namora e já faz quatro anos, tem até gente que acredita, mas você não poderia ter definido melhor: Em se tratando de confiança, amor, respeito, sim, nós namoramos porque somos melhores amigas... mas não, eu não transo com ela. E é por aí mesmo, já diz o ditado que amor sem sexo é amizade.

Passou mais um dia dos namorados e mesmo tendo que dar atenção ao seu namorado (de verdade!) você não esqueceu de mim, não esqueceu que sou uma canceriana bobona que adora corujas... naquele dia fiquei pensando em como um bichinho do meu tamanho pode conter tanto amor...em como os presentes podem eternizar os momentos até mais que uma foto,a Ellie é uma coruja gorda tão amada quando o Cleopaucius,ela leva consigo o carinho de duas irmãs.

E um dia,quando minha alma se for,minha filha vai encontrar essa corujinha e lembrará a importância de se ter amigos que transmitem seu amor a qualquer coisa em que tocam.
Obrigada amiga. Amo-te muito.

Porque eu fiz esse post se poderia simplesmente falar?
Você sabe que meu blog é a voz das coisas que não consigo dizer, é minha válvula de escape, é a liberdade de expressar minhas fantasias e de deixar voar minha imaginação ;)

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Nossos sentimentos

Talvez você diga que
eu sou um sonhador
Mas não sou o único
Desejo que um dia
você se junte a nós
E o mundo, então, será como um só.
(John Lennon)
 
Hoje:

- O que te impede de ser feliz?
- Eu sou feliz. O estranho é a beleza e o prazer que sinto na dor e na tristeza e até nisso eu sou feliz!
Depois dessa pergunta gastei uns 47 minutos pensando no assunto.

Estou na melhor fase da minha vida... Eu consigo ver coisas boas aonde quase ninguém vê. Nada me impede de ser feliz, porque a felicidade está onde eu estou, ela caminha comigo e pede atenção até quando me vejo sem saída.

Experimente viver cada sentimento, vê-los como crianças chamando atenção e então deixará de vê-los como inimigos, descobrirá que você é humano e que tem todo direito de, por exemplo, ser egoísta... simplesmente porque egoísta não é tudo que você é.

Cada vez que o sol se põe nós temos a oportunidade de nascer um pouquinho diferentes... Se sou ciumenta demais, combinei com meu ciúme que darei a ele só 10 minutos do meu dia, e ele gentil que é, ás vezes nem aparece pra buscar esse tempo. Um dia desses me dei o direito de sentir ódio de uma pessoa, durante alguns dias eu odiei tanto que queria que ela morresse... até que meu ódio cansou,deu lugar à pena,que foi embora deixando só a tristeza...até não restar nada,só a saudade do abraço seguro que nunca mais terei.

Podemos nos transformar, nos purificar, porque no fim os sentimentos ruins estarão em harmonia com nossa vida...
Ninguém merece sofrer com nossos problemas,
Ninguém pode pagar nossas lágrimas, nós somos os responsáveis pelo que acontece!
Nós é que deixamos a raiva nos dominar e perdemos a oportunidade de ficar calados!
Nós é que deixamos o ciúme assumir nossos atos e aprisionamos pessoas que estão conosco por amor e não por obrigação!
Nós é que calamos quando deveríamos gritar!
Deixamos alguém nos chamar de filho da puta porque agimos como tal!
Morremos de pena de nós mesmos porque não temos um carro, e esquecemos que tem gente que não tem comida!
Valorizamos quem nos maltrata porque adoramos nos sentir vítimas da situação!

É irracional!Não suporto ver alguém reclamando da própria vida e agindo da mesma maneira todos os dias. Todo mundo sabe que não se pode mudar os outros, mas continuam tentando ao invés de mudar a si, porque são covardes demais, porque a mudança causa muita, muita dor e medo! Aprenda a amar sua dor,seja amigo do seu medo,faça o que você julga correto e veja tudo ao seu redor mudar.

Imagine como seria o mundo se amassemos o próximo como a nós mesmos...
É por isso que não me sinto impotente... porra...eu estou aqui,e quer saber? Eu amo tanta gente que não me ama.
O que eu sinto não é exatamente prazer na dor e na tristeza, o que eu sinto é que estou viva... O que me incomoda mesmo é a ausência de sentimentos. Não, eu não sou masoquista, o que eu quero mesmo é ser feliz, mas convenhamos ninguém é “feliz” o tempo todo, e enquanto as pessoas “afogam” suas mágoas, mascaram sua tristeza, eu as deixo tomar conta de mim.

Minha dor é na medida. E justamente por eu respeitar tanto meus sentimentos é que eles não me atrapalham mais, eu dou a eles o tempo de que precisam, eu os domino e não o contrário. Há algum tempo atrás decidi me tornar rainha de mim, e ninguém reina se o povo não for respeitado e ouvido.
Eu não tenho medo de amar, de gritar, de me apaixonar. Já não preciso mais fingir ou me calar.

Se eu me arrependo das coisas que já fiz?
Muito, mas se eu voltasse no tempo teria que fazer tudo de novo, pois tudo que passou me transformou em quem sou e eu me amo muito.

E aí? O que te impede de ser feliz?

Poliamor ou polichifre?


Responsável
1. Que responde pelos próprios atos ou pelos de outrem.
2. Que responde legal ou moralmente pela vida, pelo bem-estar, etc., de alguém.
3. Que tem noção exata de responsabilidade; que se responsabiliza pelos seus atos; que não é irresponsável.
Dignidade
1. Cargo e antigo tratamento honorífico.
2. Função, honraria, título ou cargo que confere ao indivíduo uma posição graduada.
3. Autoridade moral; honestidade, honra, respeitabilidade, autoridade.
4. Decência, decoro.
5. Respeito a si mesmo; amor-próprio, brio, pundonor.
Sincero
[Do lat. sinceru, ‘sem mistura’; ‘sem malícia’; ‘puro’.]
1. Que se expressa sem artifício, sem intenção de enganar; franco, leal.
2. Que se mostra disposto a reconhecer a verdade; franco, leal.
3. Dito ou feito sem dissimulação.
4. Verdadeiro, autêntico, puro.
5. Cordial, afetuoso.
6. Sem afetação ou disfarce.
7. De boa-fé; sem impostura ou malícia.


Você realmente acredita que é livre? A liberdade, segundo o dicionário, é “poder de agir, no seio de uma sociedade organizada, segundo a própria determinação; faculdade de praticar tudo quanto não é proibido por lei.” E tem gente que acha que ser livre é ser porra-louca,isso é anarquia. Ser livre é lutar com dignidade para que as coisas que você considera justas possam ser divididas legalmente com a sociedade, felizmente viver com pessoas significa também fazer concessões, respeitar a lei e o direito de todos.

Ora, não estou me referindo só às lutas sociais, quero liberdade nas relações amorosas.

Eu mal consigo acreditar em tudo que tive que passar pra perceber que sou responsável pelos outros, quem dera todos se responsabilizassem pelo que dizem e fazem. Eu não posso deixar meu sentimento de euforia me dominar a ponto de perder a noção de que eu posso machucar alguém, se fode aí, mas não faça coisas sobre as quais você pode perder o controle, isso é “dar sorte ao azar”! É perfeitamente normal sentir atração por outras pessoas fora da sua relação, mas existe um longo caminho entre sentir e agir.

Pra ser sincera não tenho nada contra poliamor (são relações interpessoais amorosas que recusam a monogamia como princípio ou necessidade.), porque o poliamor é consensual, tenho contra polichifre (São relações interpessoais amorosas que recusam a monogamia como principio ou necessidade, sem que os outros participantes da relação saibam disso.). Acho que é porque sofro de retardo mental que não compreendo, mas se você namora alguém e essa pessoa é monogâmica, e você sabe disso, mas não gosta, não devia terminar? Eu sei que parece fácil falando, mas quem disse que ser responsável, digno e sincero é fácil?
Fácil é enganar as pessoas como um covarde,
Fácil é roubar o tempo de pessoas que se entregam a você,
Fácil, fácil é ser mentiroso! É agir nas costas de quem, ás vezes, não come pra guardar seu almoço...
Fácil mesmo é golpear alguém que dorme ao teu lado!

Eu vou te contar o que é dor:
É amar alguém tanto e deixá-la ir embora pra ser feliz com outra pessoa.
É ver o cara que é tudo na sua vida beijar outra mulher porque você, mesmo apaixonada, terminou com ele porque sabia que não ia dar certo.
É dormir com frio no dia dos namorados...
Fazer as escolhas certas não é fácil e dói pra caralho!

Isso é dor. Isso, meus caros amigos, é sinceridade... E infelizmente ninguém disse que era fácil, não existe uma cartilha que ensine a fazer isso sem dor.
No entanto a recompensa é a consciência limpa, é se amar mais, é se sentir a mais forte das criaturas,porque nem sempre o que é certo,é fácil.
E ter a certeza que alguém no mundo pensa como você, que no fim você vai ser feliz sim, porque amar uma pessoa só ou várias é lindo, quando todo mundo é honesto. Afinal, o que é o amor senão a verdade e a vida?

Bem, não importa se você não acredita que o fogo queima, ele não vai te poupar porque você é cético... assim também tudo que você faz volta pra você.
Então carpe diem.

A flor que eu encontrei

Eu vi o olhar mais meigo...
Que me salvou tão gentilmente, nem sei se dos outros ou de mim mesma.
Que sem tanta força, me convenceu do que não consegui ali encontrar.

... E olhando em volta eu vi e não vi...
Era óbvio demais para ser...

Quem não queria estar ali
Ou avistar-me, não importa...

Estava em uma música, entre os dreads e na luz do sol...
Olhando ali, vi e não vi.
E ali por perto eu senti um beijo doce
Talvez... Não sei... Mas estranhei.
... Sou resistente... foram flashes...

Mas agora,ali eu enxerguei o que eu não poderia denominar sorte, ofensivo que seria,
Mas destino.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Virgem


Mata minha saudade sem querer
Se você soubesse o quanto esperei para ter notícias tuas...

Venci a morte para te encontrar de novo..

É tão difícil fugir de um compromisso que selamos antes mesmo de nascer, e aceitar que mesmo o destino tendo nos aproximado, as nossas escolhas podem adiar por mais outra vida o beijo que espero hoje.

Minha alma desconhece qualquer outra coisa desde o instante em que te vi... Por alguns milésimos de segundo eu nem sabia meu nome... a palavra "intimidade" se tornaria superficial se fosse usada.
Sei seu nome, sei onde mora, sei o nome do seu melhor amigo e sei que não posso ser sua.
Por enquanto.

Ele me desperta as sensações de uma droga... Minhas veias marcando sob a pele, o sangue correndo mais rápido.
Ele é minha inspiração.

Hoje eu não acredito em quase nada... São aqueles dias em que me sinto morta e a única vez em que fiz uma oração foi pedindo para que ele fosse feliz, e não importava se fosse com outra pessoa, que meus erros não acabassem com felicidade dele.
Não desejei fazer aquela oração, minha alma a fez.

Eu sei que qualquer dia descubro o gosto da tua boca...

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Da angústia que é não te ter


Pois é, não deu
Deixa assim como está, sereno
Pois é de Deus tudo aquilo que não se pode ver
E ao amanhã a gente não diz
E ao coração que teima em bater
avisa que é de se entregar o viver
Pois é, até onde o destino não previu
Sem mais, atrás vou até onde eu conseguir
Deixa o amanhã e a gente sorri
Que o coração já quer descansar
Clareia minha vida, amor, no olhar
Clareia minha vida, amor, no olhar
(los Hermanos)

Queria mergulhar no teu olhar para que sua alma sentisse a saudade que está em mim, a vontade de ouvir tua voz...
Tudo engasgado.

Meu grito,ás vezes abafado no travesseiro e outras liberto na multidão,chega até você em forma de sonho
Materializo essa espera nas palavras tão cheias da vontade de esquecer...
Como ousaria tentar?
Se teu cheiro substituindo o ar que eu respiro sobrepõe-se à lucidez e à razão
Se a ânsia que tenho em te ver confunde limite de espaço e tempo
E o ouço ecoar dentro de mim como se desde meu nascimento estivesse contigo.

E esse estrago,essa agonia,é a culpa por estar traindo meu sentimento, por estar tentando arrancar o cheiro de café e hortelã que você deixou impregnado na minha vida.

Para ser honesta,o que me dá força é ter a certeza de que você será muito feliz pois eu vou te amar por mim e por ela.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Canceriana


“Parece que o amor chegou aí... eu não estava lá, mas eu vi.”
Los Hermanos

Eu menti!
Apaixonei-me desde o instante em que me vi refletida nos teus olhos...
Menti porque teu sorriso é a última imagem que quero ter antes que a vida me deixe.

Menti porque o que posso fazer é estar ao teu lado,
Tanto faz se você não sabe...
Se você não pode...
Se você não quer...

Eu acordo todos os dias ao teu lado, demoro te olhando, me espreguiço... te acordo beijando teu pescoço,depois tomamos café... Então sinto o gosto da tua boca, do teu corpo e ali mesmo, na bancada da cozinha, fazemos amor...

É uma sensação estranha, que se consome na xícara de café, em um cigarro, em um dia de chuva...

Não me parece normal sentir tanto prazer no sofrimento,
Não é normal não se importar.

“É pode ser que a maré não vire. Pode ser de o vento vir contra o cais. Pode ser da vida acostumar. Será?
Sobre estar só eu sei... nos mares por onde andei...devagar...dedicou-se mais o acaso a se esconder e agora o amanhã,cadê?”
Los Hermanos

domingo, 23 de maio de 2010

Isso não é da minha conta?


De acordo com o princípio da Conservação da Energia, a energia não pode ser criada nem destruída, mas somente transformada de uma espécie em outra. Assim também o amor. Ele é a energia que flui sem que tenhamos controle sobre seu fluxo, recebemos amor e ele pode se transformar em ódio facilmente, sem que deixe sua essência, ou às vezes essa energia se transforma em calor de modo que todos que dela se aproximam são atingidos de alguma maneira, levando consigo um tantinho, e é claro deixando um pouco de amor não importando de que espécie.
 Quanto de amor já deixei em meu caminho, quanto já recebi e o quanto isso mudou a minha vida? Não faço idéia do quanto aquele abraço que dei ou recusei mudou o curso de acontecimentos importantes, e isso me angustia profundamente, já que o simples ato de pensar nisso já muda tanto, e o que fazer com essa impotência diante disso?

Em uma linha de pensamento egoísta, imagino o bem que teria me feito saber que aquele aperto de mão, ou aquela pessoa que me foi apresentada, e para a qual eu não dei atenção nenhuma, teria mudado o curso de eventos dolorosos. Que aquela esmola que eu deixei de dar matou alguém, talvez porque o traficante não foi pago, talvez porque alguém precisava do meu troco para completar um medicamento. Como eu adoraria saber como eu já contribui para o bem ou mal.

Tento evitar o sentimento de culpa. Eu sei... ninguém é divino. Várias noites tentei conversar com Deus na esperança de que uma voz semelhante a um trovão me respondesse. É inaudível, disse minha avó, apenas observe e seja uma boa pessoa. Mesmo assim, a frustração que sinto agora, que me consome e vira chuva, não me deixar dormir. Saber que não possuo nenhum domínio sobre meu destino e que esse se molda ao deus-dará fruto de detalhes desse cotidiano maçante e tantas vezes monótono, e se você achou que a palavra nenhum é forte, imagine uma garotinha de dois anos, cuja mãe “decide” ensiná-la balé, um ano depois ela irá se apresentar no centro de convenções em uma feira,então ao subir os quatro degraus que levam ao palco ela escorrega,bate a cabeça e morre. Culpa do balé? Da mãe? Obvio que não, o que teria acontecido se ela nunca tivesse entrado em contato com o balé? Como diria minha mãe: Só Deus sabe. E isso pra exemplificar um evento significativo, mas pode aplicar isso a todo o resto da sua vida, cada passo, cada palavra, cada gesto... afinal,o que vai acontecer se eu não falar isso?E se eu falar?

Eu só sinto medo do quanto minhas escolhas vão influenciar o futuro. Não, eu não vou agir de modo arbitrário,assim como a maioria das pessoas continuo agindo conforme minha consciência,julgando ter domínio e gastando um tempo pensando direito no que fazer da vida e pro almoço de amanhã.

Mesmo assim, em dias como hoje, me sinto triste demais pra esquecer que o meu destino depende das suas escolhas e que essa teia assustadora constitui a vida de todos nós.
 O amor não pode ser criado ou destruído e nós nunca estamos sós. Definitivamente, é essa energia que mantém o frágil equilíbrio no mundo, se preferir pode denominar esse processo, tanto faz, ainda assim ele será amor.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Bom dia

Hoje resolvi depor a favor dele, assim sem mais...
Só porque esse amor não cabe mais em mim...

 - Sabia que tenho medo de trovão?
Ele me olha... tão lindo...tão doce...e me abraça:
- Eu também.

Eu só tenho paz quando ele está feliz.
Eu estou tão apaixonada porque é ele quem me faz sorrir quando quero chorar,
Porque quando estamos juntos o silencio não incomoda,
E não há sequer uma roupa minha que não tenha o cheiro dele.
Ele é minha constelação,
É o bom dia que eu não sei dar,
É o meu bom humor quando acordo cedo demais,
Porque ele sabe que não preciso dele, nem ele de mim, simplesmente existimos um na vida do outro.
Eu o respeito tanto por ele ser quem é, por estar no mundo.
E porque ele odeia suco de abacaxi com hortelã se não sou eu quem faz...

Amo tanto, tanto que faz chover
E sei que quando eu conhecer ele terei certeza de que tudo que passei até hoje me fez ser a mulher ele esperava...

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Estrela Cadente


Quase sem querer...
Foi que toquei seu ombro
Foi que mudei de assunto
Revirei meu mundo sem te encontrar
Como um espelho reflete tudo que te dou... Beijo ardente... Olhar safado...
Mais doce que a brisa fugida da prisão da tristeza, me liberta de mim mesma, do amor perdido...
Derreti em seus braços
Quase sem querer... Quase.
Ele é aquilo que é, simplesmente sorriso...

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Essa noite eu morri

Você traz esse medo, essa culpa de errar novamente.
Fica muito preocupado das coisas darem errado. Se tiver que tomar uma decisão, fica inseguro, angustiado. Pensa sempre no lado negativo. Fica com medo também de desapontar as pessoas, caso venha a tomar uma decisão errada, então deixa as coisas se resolverem, deixa elas chegarem a um ponto em que não precisa escolher, em que não se responsabiliza pelas coisas que acontecem.

Foge. Engana-se.

É como se estivesse caminhando no escuro. E está.

Parece fácil e você não consegue fazer as escolhas que precisam ser feitas, dizer aquele sim ou não que vai mudar tudo. Ou talvez esse medo se explique pela quantidade de mudanças que já ocorreram...
Pode rir... é muito engraçado acontecer logo com você que odeia mudanças.

Às vezes se agarra ao passado, se pega pensando no que teria acontecido “se”. O “se” te persegue, te impede de viver o agora. Revê o passado e percebe que tudo começou sua culpa: o sim ou não que mudou nossa vida drasticamente...
O pior é isso: Foi tudo culpa sua, e não dá pra consertar!
Você quebrou tantos cristais...

Se perdoar não é nada fácil. Aí você começa a pensar em soluções dolorosas, arriscadas, rápidas...
Impaciente que é.

Parece que já viveu o suficiente para ter a vida sob controle, mas não sente isso. Sempre a 300 km/h.
O que vai ser de você quando cansar?
Quem vai estar ao seu lado?

Você se perdeu no labirinto que construiu tão perfeito ele ficou que não há sequer uma rachadura nas paredes que diferencie qualquer corredor um do outro. Onde estão seus valores, sua ética, sua moral, sua liberdade.

Sinto-te sobrecarregado. Está acuado,mentindo por motivos banais pras pessoas que você ama.É um ator tentando agradar pessoas que não gosta, tentando ser alguém que não é, fazendo um papel insignificante. Vai mesmo morrer assim? Um simples figurante tentando obter um papel principal, tentando encontrar a chave que te liberte de si mesmo. Você se considerava tão prático, tão forte. É patético.

...você demora a decifrar charadas... Só queria que fosse mais fácil e indolor. Ou você dá um jeito ou eu dou, no fim vai dar no mesmo.

Pois é... Você sabe que tudo esta em suas mãos, adoro seu jeito tão particular de resolver as coisas, você é capaz de coisas cruéis e também de coisas amáveis, consegue renascer das cinzas e amar gente que não merece.
Você é humano. E eu até cheguei a duvidar disso.

sábado, 10 de abril de 2010

Ephémeros

Minha imaginação não conhece limites, é o único lugar onde sou totalmente livre
A quem estamos enganando?
Somos clichê
Somos rima
E som
Previsível repetitivo padrão.
Estranho, desigual, inédito, incomum .
Essa noite eu tive um sonho.. nem consigo lembrar direito
Mas parecia bem real
Você tem medo do que?
Até onde eu sei é só uma brincadeira...
...as coisas fluem..a gente deixa...
Só porque eu juntei a falta de bom senso ao quanto é bom estar perto...
Já não tenho noção de certo e errado..
Melhor não...
Porque nós gostamos de sofrer?
Ouço vozes.. Oposições internas, manifestas ou latentes, no mundo que criamos
Um mundo tão instável, frágil, perigoso....que vai acabar assim que o dia amanhecer
Não quero mais pensar no beijo que não queremos trocar

Você tem medo do que?
Tenho medo de mim
Então, não é questão de querer ou não querer.
Geralmente eu digo não quando não quero uma coisa...
Somos o que pensamos
Somos os impulsos a que cedemos
Desgastou-se e perdeu o sentido...
Aquilo que dura um só dia
Sou feita de carne, mas vivo como se fosse feita de aço.
(Alice Sales)

“Somos donos de nossos atos,
mas não donos de nossos sentimentos;
Somos culpados pelo que fazemos,
mas não somos culpados pelo que sentimos;
Podemos prometer atos,
mas não podemos prometer sentimentos...
Atos são pássaros engaiolados,
sentimentos são pássaros em vôo.”
Mário Quintana

quinta-feira, 11 de março de 2010

Pra nós toda paixão do mundo

Meu amor tem um sorriso malicioso
Um jeito de me fazer sofrer
De me fazer implorar pela dor
De me machucar com jeitinho
Nasce um sorriso discreto na minha boca enquanto detalho suas curvas,seus lábios,sua alma...
Fere meu ego, me maltrata pelo descaso
Seu olhar amaldiçoa minha existência...
Essa paixão não pode morrer, pelo simples fato de que não há possibilidade de vivê-la.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Amor ou paixão?




“Amar não consiste em se olhar um para o outro,mas em olhar para adiante juntos e na mesma direção.” Antoine de Saint-Exupéry


A paixão é cega,mas você não é. Olhe-se no espelho e veja que pessoa maravilhosa esta refletida nele. William Shakespeare dizia que “A paixão aumenta em função dos obstáculos que se lhe opõe.” E eu concordo,mas o amor não é assim.O amor se apóia na compatibilidade; a paixão, na química e na aparência. Essa “dependência química” para guiá-lo na direção do amor é tola e perigosa. O verdadeiro amor inclui química, mas brota de outros fatores tais como: caráter, personalidade, emoções, idéias e atitudes. O amor cria segurança. O amor confia.. Ciúmes, entretanto, significam sentimentos de insegurança e auto-estima nada saudáveis. Os sentimentos de possessividade só atrapalham a relação, criam uma angustia tanto no inseguro quanto na pessoa amada,ambos se sentem algemados,e a paixão os deixam confusos,frequentemente se deparam na situação de não saber se querem aquela relação. Já sentiu isso?

O amor verdadeiro não funciona assim. O amor motiva um comportamento positivo; a paixão tem efeitos destrutivos. O amor é construtivo e manifesta o seu melhor. Ele provê nova energia, ambição e interesse na vida, estimula a criatividade, interesse em crescimento e desenvolvimento pessoal, e leva você a agir de forma digna. Gera auto-estima, confiança e segurança, e o impulsiona rumo ao sucesso. Você estuda mais, planeja mais efetivamente. A vida adquire propósito e significado adicionais. Você pode sonhar acordado, mas permanece ligado à realidade. O amor não é ciumento porque ali não há espaço pro ciúme,o amor confia porque não há nenhum motivo para desconfiar. O amor te faz bem. E essas são as grandes perguntas que você deve fazer a si mesmo(a): Essa relação está me fazendo bem? Me sinto completo? Tenho dignidade,espaço e liberdade?

A paixão tem efeito desorganizador. Você se sentirá confuso numa relação movida a paixão, se desenvolve em sonhos irreais que fazem você se esquecer das realidades da vida. O amor reconhece as falhas; a paixão as ignora. As faltas são admitidas, mas o respeito e admiração pelas boas qualidades se sobrepõem às más. Na paixão você idealiza a tal ponto, que se recusa a ver o mal que aquela pessoa te faz,perde o amor-próprio,identidade,passa por cima dos seus valores,vê a esmola que lhe é dada como tesouro,admira tanto três ou quatro qualidades, que chega a se enganar acreditando que essas possam sobrepor-se às faltas e agora é você que está se iludindo. O amor torna-o capaz de querer, a despeito de todas as faltas, mas não o cega em relação à realidade. Não lembre só dos momentos bons,lembre-se de TUDO.

O amor obtém a aprovação da família e amigos,lembre-se que em tudo na vida quem está de fora vê tudo mais claramente.Se os pais ou os amigos não aprovam, cuidado! Se eles estão convencidos de que você fez uma má escolha, estarão provavelmente corretos. Afinal,eles te amam e te conhecem,querem seu bem. Porque estariam contra uma relação que te faz feliz? Uma pesquisa mostrou que casais felizes enfrentam bem menos problemas com parentes e amigos. Imagine-se numa relação aonde todos os seus parentes e amigos ADORAM seu namorado(a),imagine as pessoas que você ama exigindo a presença dele...se imaginou eu não preciso dizer mais nada.

Todos os anos milhares de casais sobem ao altar; seus olhos estão radiantes de alegria, prometendo amor e fidelidade para sempre, não percebendo que cometem o maior erro de suas vidas. O que sucederá aos seus deslumbrados e persistentes olhares, às ternas promessas, aos beijos e sussurros de paixão?

Muitos não compreendem que ninguém fica “caidinho”. A decisão de amar é sua, de pensar a respeito, de investir tempo nisso e de possuir fortes sentimentos por alguém. Apaixonar-se é a parte mais fácil e divertida do amor. A parte difícil, o comprometimento de um amor incondicional à uma pessoa imperfeita, permanece. Quando você ama verdadeiramente alguém não se apossa do direito do outro de decidir qualquer coisa, nem fica com raiva quando repreendido. Quem ama não espera nada em troca, não se vinga, não deseja mal.

As vezes eu me pergunto se é amor mesmo o que eu sinto pelos meus amigos,pela minha família,pelo homem que beija minha boca...se eles decidissem que não me querem mais por perto se eu poderia amá-los incondicionalmente,se eu os deixaria ir...

O amor genuíno diz: “Eu o amarei mesmo quando você falhar em suprir as minhas necessidades, em me rejeitar ou ignorar, em comportar-se estupidamente, em fazer escolhas que eu não faria, em discordar de mim e me tratar injustamente. Apesar disso eu o amarei para sempre.”



Esse texto escrevi Inspirada no meu lado racional(Já que meu coração está livre da paixão),e numa conversa com dois amigos.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Magia do Caos



Já faz tempo que não escrevo,parece que meu espírito tem outras preocupações. Depois desse tempo todo já esqueci muita coisa, muitas palavras se perderam..


Minha insônia voltou. Resolvi levantar e escrever alguma coisa ....eu pensei em alguns motivos pra escrever essas bobagens,mas também pensei porque não?

Você já teve a sensação de que a vida mudou rápido demais?

Que a vida é instável demais? Bom,é isso que está em pauta.

Perturbações,erros que levam a resultados que são, na prática, imprevisíveis ou aleatórios. Mesmo em situacoes consideradas estáveis, erros microscópicos podem ser amplificados pelo grande número de interações, levando ao tal resultado aleatório. É o que se chama de caos. Mas, ao se tomar uma decisão mínima, considerada muitas vezes insignificante, poderemos gerar uma transformação inesperada num futuro incerto... quem é que pode se programar desse jeito?

Pois é...no fim das contas até o fato de eu estar agora escrevendo muda o curso de coisas que nunca saberemos o quão significativas são...pois é... um sem fim de incertezas...

Alice Sales