sexta-feira, 25 de abril de 2008

Por que a gente é assim?


Freud explica:
Tem gente que namora pra não ficar só.
Tem gente que aguenta muitos mals tratos e mesmo assim perdoa o tempo todo.
Tem gente que vive esperando.
E gente que não sabe esperar.
Tem gente que não ama quem deveria amar... Para amar quem não merece.

Eu queria inventar uma formula especial,um remédio com bula e tudo, e que podia ser uma injeção pra gostar de alguém ,outra pra esquecer e outra para só valorizar quem valoriza a gente... Mas coitada de mim que não sou cientista, nem tenho tanta amizade com Deus.
E o pior é que sou culpada de todos esses pecados, bati e levei.
Vivo numa luta incessante, ora amando, ora sendo amada, dias negando verdades incontestáveis, dias confessando.
Porque somos tão complicados?

A amiga ouviu atentamente, compartilhando certas experiências.
Para Lia, admitir que depois de tudo o que aconteceu ela ainda queria estar com ele era muito difícil, principalmente porque feria seu orgulho, a fazia se sentir idiota e parecer frágil demais. Acabou contando algumas mentiras, disse que eles nunca dariam certo mesmo, que a vida é assim. Se sentia vitima da situação.
-Porque?
-Porque o que?
-Porque você não o namoraria?
-Por causa de tudo que já aconteceu, o passado não pode ser apagado, ignorado ou esquecido. – Meia verdade que contava para si o tempo todo.
Era o que ela dizia, mas a verdade é que ela não ficaria com ele porque não se sentia segura, porque as feridas ainda doíam muito, porque não podia controlar ele como sempre fez na maioria de seus relacionamentos, ele era livre demais.
-Vocês já conversaram sobre tudo isso?
-Não. – Lia procurava uma saída, eram perguntas demais em pouco tempo.
-Eu não suportaria – continua a amiga - falaria tudo isso, procuraria saber o que ele sente. Você já parou pra pensar que ele pode estar tão magoado quanto você? Que enquanto você se coloca no lugar de vitima, ele também pode estar se sentindo tão excluído, tão jogado pra fora da sua vida, sendo tão vitima o quanto. Você imagina quantas vezes já o feriu, o fez sentir-se o ultimo?

Ela não sabia quase nada da historia, mas de repente muita coisa fazia sentido e Lia sentia um peso, aquelas palavras a fizeram olhá-lo sob outro ponto de vista, sentir compaixão, querer saber o que, afinal, o garoto de aço sentia.
Nunca falaria com ele.
E se ele não sentisse nada? Se simplesmente a visse como uma diversão, como seu passatempo, se fingisse que se importava? Ela não queria saber a verdade, o medo quase sempre vence.

O que é mais cruel no amor, é que ele nos faz ter medo de tentar, nos faz covardes, nos faz querer parcelar nossa dor, senti-la devagar, quando simplesmente poderíamos sentir tudo de uma vez, absorver e continuar.

Seu coração dizia: Acabe com tudo, esgote. Se você deixar qualquer vestígio ele vai crescer e vai doer mais, no amor nada pode ficar pela metade, nem inacabado. Pára de achar que se vocês se beijarem novamente vão ter que casar! Tente viver uma coisa de cada vez, um dia de cada vez, uma sensação, depois outra, aí de repente vai tudo estar encaminhado, resolvido.

Silencio.

Porque isso foi acontecer justo agora que ela já tinha se convencido de que ele era o pior homem do mundo?
O medo estava vencendo a guerra. De onde ela tiraria forças pra continuar essa historia inacabada, o que faria com sua vida programada? Se decidisse desenterrar aquela paixão corria o risco de perder muito mais do que já tinha perdido. Ele já tinha levado seu orgulho, sua dignidade, seu corpo e suas lagrimas varias vezes, e toda vez que ela estava se reerguendo fraquejava diante daquele menino bonito, tão complicado e encantador.
- Lia?
Elas acabaram o café.

Aqueles pensamentos já não a deixavam em paz.
Um dia.
Um mês.
Um ano.
Covardia.
Procurou em todas as bocas o gosto dos seus beijos, em todos os abraços sentir o seu perfume, nem mesmo podia arrancar seu coração.
Porque a gente é assim?
Ela continua dizendo que esqueceu ele a todos, menos a ela mesma. Já é um começo.

Alice Sales

Um comentário:

  1. Adoro seus textos...!
    Continue a escrever hein?
    te amo!!!

    Beijokas!!

    ResponderExcluir

Carpe Diem,Tempus fugit.