sexta-feira, 25 de abril de 2008

Amar? eca,isso dói

Decreto nº 1304

“Meu coração não é de papel.. Não sou descartável.
E pra reciclar dá trabalho!
Porque precisa sempre se desfazer em pedaços? Cada vez mais miúdos.. cada vez mais difíceis de juntar...Ainda não me acostumei com essas pancadas.. esses vacilos... essas quebradas...
Cansado...
E eu.. tão intenso.. que me deixo indefeso...
E Dóoooiii...
Que porcaria he essa???
3, 2, 1...
Me aposentei....
Hoje entrei na comunidade: “Coração burro da porra!!”
A partir de agora... trancado... parafusado.. acorrentado..A chave nem sei onde foi parar.
“Eu decreto que a partir de hoje ninguém tem mais o direito de entrar nesse meu coração”. Autor: Tarcísio Rocha



O amor é uma droga mesmo,você acha que pode controlar aquela sensação pequenininha e de repente você esta feito um idiota morrendo de amores e escutando U2 no fim da noite.

Porém nada disso me desanima,eu ainda acredito no amor,e espero....
Espero por um amor que me faça parar de respirar, ficar boba, chorar de saudade, que me mate e me ressuscite todos os dias.
É isso.
Acabei arranjando um jeitinho de sofrer com dignidade. E de gostar desse momento.
Se meu coração é burro? Muito.
Mas eu até que gosto desse jeito,e prefiro mil vezes esse coração tolinho,do que um coração sem cicatrizes e sem emoções. Sendo assim digo exatamente o contrario do que meu amigo disse:
Esse coração aqui é malandro, e esta querendo um sentimento qualquer que balance ele,nem que seja uma dorzinha no fim da noite.

Ops! Só tem uma coisa: pelo sim,pelo não eu deixo a chave em casa,afinal, tá cheio de ladrão mal intencionado por aí.
Sem contar as vezes que eu perdi essa bendita chave e nunca me devolveram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Carpe Diem,Tempus fugit.